logo-estes.jpg
O planejamento da Escola Técnica de Enfermagem Carlos Chagas (ETECC) teve início em 1972. Esta instituição deu origem a hoje Escola Técnica de Saúde (ESTES) da Universidade Federal de Uberlândia (UFU). A iniciativa surgiu com a proposta da extinta Fundação da Escola de Medicina e Cirurgia de Uberlândia (FEMECIU), tendo como justificativa o potencial da Escola de Medicina e a carência de profissionais de enfermagem de nível médio, tanto no Hospital de Clínicas da FEMECIU, como nos demais hospitais e clínicas da cidade de Uberlândia (MG) e região.

Assim, com apoio de vários órgãos do Governo do Estado de Minas Gerais e de várias entidades uberlandenses, a ETECC iniciou suas atividades em 1973, como estabelecimento privado de Ensino de 2° Grau, agregado, a época, à Escola de Medicina e Cirurgia de Uberlândia, mantida pela FEMECIU, pelas contribuições dos alunos, da comunidade e também por verbas do Ministério da Educação e Cultura. Reconhecido oficialmente em 25 de agosto de 1977, pela Portaria Nº 359/77 de 11/10/77, da Superintendência Educacional da Secretaria do Estado da Educação de Minas Gerais. Em 1978, ocorre a federalização da UFU, porém, somente em 1981, a ETECC vincula-se à universidade, como órgão suplementar agregado à Pró-Reitoria Acadêmica, por meio da Diretoria de Ensino de 1º e 2º Graus (DIEPS). Em 1981, a ETECC tem o seu Regimento Interno aprovado e o Curso Técnico em Enfermagem reconhecido, por meio da Portaria MEC Nº 090.
 
A integração da Escola à Universidade trouxe transformações, inicialmente quanto às questões conceituais, ao seu papel dentro da comunidade universitária e frente à sociedade uberlandense. Dessas reflexões, delinearam-se perspectivas para abertura de novos cursos, ofertas de novas habilitações em função do mercado de trabalho e das exigências da sociedade.
 
A Escola, que apenas oferecia a Habilitação de Técnico em Enfermagem, em 1984, passou a oferecer também a Habilitação em Laboratório de Prótese Odontológica, hoje Técnico em Prótese Dentária, curso aprovado pelo Conselho de Ensino e Pesquisa da UFU, em 1983 e reconhecido pelo MEC/SESG, em março de 1987. A partir daí, a denominação da escola tornou-se indevida, uma vez que oferecia outras habilitações que não somente a da enfermagem. Assim, em 14 de fevereiro de 1984, a Escola Técnica de Enfermagem Carlos Chagas recebe uma nova denominação: Escola Técnica de Segundo Grau da Universidade Federal de Uberlândia.
 
Em 1988, a escola volta a crescer e expande sua oferta de habilitações. São criados os Cursos Técnico em Patologia Clínica e Técnico em Higiene Dental, hoje Técnico em Análises Clínicas e Técnico em Saúde Bucal, respectivamente. Foram aprovados pelo Conselho de Ensino e Pesquisa da Universidade Federal de Uberlândia em 14/10/1988 e reconhecidos pelo (MEC/SENETE), portaria Nº 26/91, em maio de 1991.

 
O nome atual foi recebido em 30 de setembro de 1991, quando passamos a ser a Escola Técnica de Saúde (ESTES), pela Resolução Nº 09/91 do Conselho Universitário da Universidade Federal de Uberlândia, consolidando-se, como formadora de profissionais na área de Saúde. 

Em 2010 houve a aprovação do Curso Técnico em Meio Ambiente (PROEJA), parceria entre a ESTES e aEscola Estadual de Uberlândia, e em 2012 a implantação do Curso Técnico em Controle Ambiental, além da adesão da ESTES ao PRONATEC (Cursos FIC e Técnicos).

Em setembro de 2013 houve a comemoração dos 40 anos da ESTES e em outubro de 2017 dos 45 anos de criação.

No ano de 2019 foi implantado o Curso Técnico em Segurança do trabalho, e atualmente, no ensino a ESTES oferece cursos de educação profissional técnica de nível médio nos eixos tecnológicos de meio ambiente, saúde e segurança do trabalho. Na extensão e pesquisa, destaca-se por meio de programas e projetos científicos.
Com relação à estrutura administrativa a ESTES é constituída, entre outros setores, por:
  • Conselho de Unidade,
  • Diretoria,
  • Setor Pedagógico,
  • Setor de Compras,
  • Colegiados de cursos,
  • Coordenação de Cursos,
  • Secretária de curso.
 
Há 48 anos a ESTES vem desenvolvendo atividades na área de Ensino, Extensão e Pesquisa. A história da instituição é marcada e ajudou a promover o desenvolvimento político, social e regional do Triângulo Mineiro.

Corpo discente

Corpo docente

Corpo técnico-administrativo

394

matrículas ativas

40

professores
e professoras

15

servidores
e servidoras

Corpo-docente.png
Corpo-discente.png
CORPO-TÉCNICO.png

Cursos ofertados

  • Ensino técnico

    • Análises Clínicas

    • Controle Ambiental

    • Enfermagem

    • Meio Ambiente

    • Prótese Dentária

    • Saúde Bucal

    • Segurança do Trabalho

Laboratório de Enfermagem 2.png

Gestão

servletrecuperafoto_edited.jpg

Luiz Carlos Gebrim de Paula Costa

Diretor

Graduado em Ciências Biológicas (2001, licenciatura e 2002, bacharelado), mestre em Genética e Bioquímica (2005) e doutor em Imunologia e Parasitologia Aplicada (2016). Além de diretor, é professor de Imunologia, Microbiologia e Biologia Celular do Curso de Análises Clínicas da Estes-UFU. Áreas de interesse: sorologia e epidemiologia de doenças infectocontagiosas.

Logomarca da UFU.png

Valder Steffen Júnior

Reitor

Carlos Henrique Martins da Silva

Vice-reitor

Destaques

Ajustes Condetuf.png
Equidade

Projeto Mulheres Mil

Esse Projeto de Extensão é inspirado nas diretrizes do Programa Mulheres Mil, que é um programa executado em cooperação entre os governos brasileiro e canadense, e pauta-se em estratégias nos eixos de promoção da equidade, igualdade entre sexos,
combate à violência contra mulher e acesso à educação com formação profissional
para mulheres em condições de vulnerabilidade social e econômica. Entre os grupos de mulheres em situação de vulnerabilidade, foram eleitas para esse projeto, as mulheres privadas de liberdade (BRASIL, 2011).

Imagem destaque 2 Projeto Alvorada.png
Reinserção

Projeto Alvorada

O Projeto Alvorada articula uma rede de instituições com trajetórias nas áreas da
educação, trabalho e políticas penais que integram esforços conjuntos para promover oportunidades reais de inclusão social de pessoas egressas do sistema prisional, via inserção no mundo do trabalho.

Espera-se estruturar e ofertar um Curso de Formação Inicial e Continuada em
Eletricista Predial de Baixa Tensão para egressos do Sistema Prisional com vistas a
inclusão educacional, produtiva e social, bem como capacitar os alunos para inserção no mundo do trabalho, com técnicas empreendedoras de modo a auxiliá-lo na auto-gestão de empreendimentos.

Imagem Destaque 3 - Levantamento das sit
Pesquisa

Quais os efeitos do COVID-19 na educação?

Buscando analisar os efeitos do isolamento social, da mudança nas rotinas e do luto pelas perdas em relacionadas ao corona vírus, a ESTES elaborou e está lançando o relatório de pesquisa Levantamento das situações dos estudantes da Escola Técnica de Saúde da Universidade Federal de
Uberlândia durante a pandemia/Covid-19
.

Mais informações

CONTATO.png
EMAIL.png
SITE.png