A Escola Agrícola de Jundiaí (EAJ), é uma Unidade Acadêmica Especializada em Ciências Agrárias da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), criada pela lei Nº 202 de dezembro de 1949, como Escola Prática de Agricultura, com localização na antiga Fazenda Jundiaí, distante 3 km da sede do município de Macaíba, e a 25 km de Natal, capital do Rio Grande do Norte (RN).

 

A Escola Prática foi transformada em Escola Agrotécnica de Jundiaí, pelo convênio firmado entre o Estado do Rio Grande do Norte e o Ministério da Agricultura, em 09 de abril de 1954, ficando subordinada à Direção de Ensino Agrícola e Veterinário daquele Ministério. Por força do Decreto Nº 61.162, de 16 de agosto de 1967, foi incorporada à Universidade Federal do Rio Grande do Norte, passando posteriormente à denominação de Colégio Agrícola de Jundiaí (CAJ).

 

Com a Resolução Nº 006/2002 – CONSUNI, de 16 de agosto de 2002, que aprovou modificações e alterações no Regimento Geral da UFRN, a Unidade recebe a atual denominação de Escola Agrícola de Jundiaí. Em 19 de dezembro de 2007, através da Resolução Nº 11/2007 – CONSUNI, a EAJ passou da condição de Órgão Suplementar para Unidade Acadêmica Especializada em Ciências Agrárias, integrada à estrutura acadêmica e administrativa da UFRN.

 

A EAJ está definida como unidade das atividades de ensino, pesquisa e extensão em Ciências Agrárias, e visa a integração entre as suas várias subáreas de conhecimento mediante aperfeiçoamento do ensino prestado, o que requer estruturação de bases e grupos e pesquisas voltados especialmente ao desenvolvimento tecnológico das cadeias produtivas agroalimentares e agroindustriais.

 

Atualmente, a Unidade oferta cursos técnicos de Agropecuária, Agroindústria e Aquicultura nas modalidades integrado e subsequente, o curso de Informática na modalidade integrado e o subsequente de Técnico em Cozinha, este último em fase de implantação.

No Ensino Superior, os cursos ofertados são Engenharia Agronômica, Engenharia Florestal, Zootecnia e Análise e Desenvolvimento de Sistemas. A EAJ dispõe ainda de programas de Pós-graduação e cursos de Formação Inicial e Continuada (FIC).
 

A produção científica de alto impacto está em crescente evolução. Com a chegada de mais professores pesquisadores e com o aumento expressivo no número de laboratórios e áreas de experimentação, a EAJ consolida-se como polo de produção de conhecimento e inovação tecnológica, fomentando o desenvolvimento de áreas fundamentais para a região Nordeste.

 

Hoje, nossa escola possui 81 prédios compondo sua estrutura, com 38 salas de aula e 55 laboratórios especializados em áreas diversas para o desenvolvimento de pesquisas e aulas práticas. São 64 projetos de pesquisa somente em 2020.


O desenvolvimento da extensão em todo o território potiguar também é uma das grandes conquistas da EAJ. Ações realizadas por servidores e estudantes em diversas áreas têm beneficiado milhares de pessoas em regiões urbanas e rurais do Rio Grande do Norte. Em parceria com instituições e organizações, a Unidade promove a educação de qualidade além dos seus limites físicos e alcança resultados de extrema importância para a sociedade. São, atualmente, 201 projetos de extensão realizadas na EAJ, dezesseis deles vinculados ao programa da própria Escola, o AGROJundiaí.


São mais de 70 anos de ensino e dedicação, fundados em alicerces sólidos, embasados por um modelo de diálogo para a construção coletiva das diretrizes e prioridades da comunidade acadêmica.

Corpo discente

Corpo docente

Corpo técnico-administrativo

1.295

matrículas ativas

114

professores
e professoras

71

servidores
e servidoras

Corpo-docente.png
Corpo-discente.png
CORPO-TÉCNICO.png

Cursos ofertados

  • Ensino médio

    • Agroindústria (técnico integrado)

    • Agropecuária (técnico integrado)

    • Aquicultura (técnico integrado)

    • Informática (técnico integrado)
  • Ensino técnico

    • Agroindústria

    • Agropecuária

    • Aquicultura

    • Técnico em Cozinha (em fase de implantação)

  • Ensino superior

    • Análise e Desenvolvimento de Sistemas

    • Engenharia Agronômica

    • Engenharia Florestal

    • Zootecnia

  • Pós-graduação

    • Mestrado em Ciências Florestais

    • Mestrado em Produção Animal

Gestão

Professor Ivan Max - Diretor EAJ-UFRN.jp

Ivan Max Freire de Lacerda

Diretor

Graduado (1996) em Ciências da Computação pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), especialista (2005) em Formação Docente para o Ensino Superior pela Faculdade de Ciências Cultura e Extensão do RN, mestre (2009) em Engenharia Mecânica e doutor (2018) em Engenharia da Computação, pela UFRN. Atua com tecnologias educacionais, hardware, manutenção, eletrônica e mecânica computacional.

Professor_Márcio_Dias_-_Diretor_Adjunto

Márcio Dias Pereira

Vice-diretor

Graduado (2004) em Agronomia pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES) e mestre (2007) e doutor (2011) em Fitotecnia (Produção Vegetal) pela Universidade Federal de Viçosa (UFV). Membro da Comissão de sementes e mudas do Rio Grande do Norte e Editor de seção do Journal of seed science (JSS). Pesquisa o desenvolvimento de softwares, para automatização da análise de sementes.

José Daniel Diniz Melo

Reitor

Henio Ferreira de Miranda

Vice-reitor

Destaques

Ajustes Condetuf (3).png
AgroJundiaí

Ações para o desenvolvimento
rural sustentável

O programa estimula o desenvolvimento social e o espírito crítico dos estudantes, bem como a atuação pautada na cidadania e na função social da educação por meio da prestação de assessoria técnica, ambiental e gerencial para agricultores de base familiar no RN, concentrando esforços para potencializar suas cadeias produtivas, tornando-as competitivas e promovendo a sustentabilidade socioeconômica e ambiental.

Residência Profissional Agrícola.png
MAPA

Residência profissional agrícola

O Programa  de Residência Profissional Agrícola destina-se a jovens estudantes e profissionais recém egressos das áreas de ciências agrárias e afins para um período de treinamento prático, orientado e supervisionado, tanto em cursos de nível médio quanto superior, para aproximar o universo acadêmico das unidades produtivas, por meio do intercâmbio de conhecimento e de tecnologias.

Laboleite.jpeg
Qualidade

Produção de alimentos de elevado valor biológico, seguros e saudáveis

O Laboratório de Qualidade do Leite da UFRN vem desenvolvendo ações de pesquisa, extensão e prestação de serviço desde 2011, gerando conhecimentos acerca do tema e permitindo a formação acadêmica de discentes de graduação e pós-graduação, com diversos artigos publicados em revistas científicas e apresentações em eventos de abrangência regional, nacional e internacional.

Mais informações

CONTATO.png
EMAIL.png
SITE.png
FACE.png
INSTAGRAM.png
YOUTUBE.png