A Escola Agrotécnica de Roraima (EAGRO) foi criada em 24 de maio  de  1982  pelo  então  governador  do  ex-Território  Federal  de  Roraima,  Ottomar  de  Sousa Pinto.  As  atividades  da  escola  iniciaram  em  17  de julho do mesmo ano, com objetivo formar técnicos agrícolas.


A Escola passou por um período sem atividades, porém em 2005, o reitor da Universidade Federal de Roraima (UFRR), Roberto Ramos, assinou um projeto realizado em parceria com o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA) que viabilizou a reativação da instituição, assim a EAGRO ressurgiu oferecendo o curso Técnico Agrícola com Habilitação em Agricultura e Técnico Agrícola com Habilitação em Zootecnia. Após o fim do projeto, a Escola buscou parcerias e formas de viabilizar seu funcionamento regular. 


Desta forma, um novo projeto em parceria com o Governo do Estado de Roraima, possibilitou que em março de 2009, a EAGRO fosse reativada definitivamente, passando a funcionar no P.A Nova Amazônia, BR 174 ,Km 37. Atualmente, a escola beneficia em especial os moradores do Projeto de Assentamento, das comunidades do Passarão, Murupu, Truaru e localidades próximas, facilitando o acesso à educação.


Nossa escola tem oferecido o curso Técnico em Agropecuária em três modalidades: Integrado ao Ensino Médio, subsequente e o Curso de Graduação em Agroecologia.


A EAGRO conta com um uma equipe efetiva de docentes e de técnico-administrativos em educação que primam pela educação e pela formação do aluno como cidadão.  Além disso, destinamos nossa infraestrutura para pesquisa, ensino e extensão, com atividades culturais, de lazer e esportivas. Desta forma, conta com alojamento, biblioteca especializada em ciências agrárias, blocos de estudos, quadra poliesportiva, restaurante universitário, setor de produção animal e vegetal e laboratórios de análises e pesquisas. 

Anualmente a EAGRO tem realizado eventos que possibilitam o diálogo técnico-cientifico com a sociedade roraimense e que proporcionam trocas de experiência e conhecimento profissional.

 

Entre os projetos de extensão e ações, estão:

  • Rede Sociotécnica de apoio ao desenvolvimento sustentável do Polo IV do Assentamento Nova Amazônia;

  • Agronomia e mundos do trabalho: novas abordagens para a escola e comunidade;

  • Programa de Extensão do Centro de Capoeira da UFRR;

  • Português para acolhimento;

  • Educação Ambiental e Sustentabilidade.

A EAGRO tem se destacado em eventos científicos regionais e nacionais, sendo reconhecida a exemplo da premiação como melhor projeto de Roraima na 18ª Feira Brasileira de Ciências e Engenharia (FEBRACE 2020), promovida pela Universidade de São Paulo (USP), com o projeto intitulado "Precipitação e aporte de nutrientes em Sistema Agroflorestal manejado na região de savanas amazônicas".

Corpo discente

Corpo docente

Corpo técnico-administrativo

268

matrículas ativas

37

professores
e professoras

08

servidores
e servidoras

Cursos ofertados

  • Ensino médio

    • Agropecuária (técnico integrado)

  • Ensino técnico

    • Agropecuária

  • Ensino superior

    • Tecnologia em Agroecologia

Gestão

Prancheta 43-100.jpg

Diretor

Graduado (2005), mestre (2007) e doutor (2010) em Agronomia pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Professor da Escola Agrotécnica desde 2010 e do Programa de Pós-Graduação em Agroecologia (UERR/IFRR/EMBRAPA) desde 2015, seu interesse é a Agroecologia, em especial no Potencial Alimentar Não Convencionais.

Jandiê Araújo da Silva

José Geraldo Ticianeli

Silvestre Lopes da Nóbrega

Reitor

Vice-reitor

Destaques

Casos de sucesso

Egressa do curso Técnico em Agropecuária da EAGRO/UFRR e proprietária do sítio Novo Horizonte, localizado na P.A Nova Amazônia, Roraima, ressalta a importância da formação continuada e dos conhecimentos adquiridos ao longo curso na instituição para a propriedade e para a produção em larga escala da melancia.

Educação Ambiental e Sustentabilidade 

Projeto financiado e em parceira da Escola Agrotécnica da Universidade Federal de Roraima com a Vara de Penas e Medidas Alternativas do Tribunal de Justiça de Roraima (Vepema/TJRR), tem como objetivo envolver diversas disciplinas e trabalhar a interdisciplinaridade envolvendo a temática ambiental. Desta forma, destacam-se as ações junto a comunidade por meio de palestras, oficinas de reciclagem, gincanas e outras atividades voltadas à conscientização ambiental.

Estudo de iogurtes e leites fermentados com polpa de Murici

O estudo das moléculas bioativas formadas durante a pós-acidificação de produtos lácteos fermentados com frutas nativas da Amazônia é uma questão importante a ser considerada, um vez que os potenciais benefícios de saúde promovidos por estas moléculas podem ser potencializados ou reduzidos em função do tempo e do tipo de armazenamento e da fruta adicionada. A intenção é acompanhar o comportamento das moléculas fenólicas presentes pela adição de frutas nativas aos produtos lácteos, assim como os ácidos graxos naturalmente presentes no leite e aqueles adicionados pelas frutas e os peptídeos bioativos formados pelo processo fermentativo, durante a vida de prateleira comercial destes produtos.

Mais informações

Condetuf

Conselho Nacional de Dirigentes das  Escolas

Técnicas Vinculadas às Universidades Federais

+55 61 99677-4297