EAJ conquista medalha de bronze na Olimpíada Brasileira de Robótica


Vitor Carvalho, do 3° ano do curso técnico em Informática da Escola Agrícola de Jundiaí (EAJ/UFRN)

O estudante Vitor Carvalho, do 3° ano do curso técnico em Informática da Escola Agrícola de Jundiaí (EAJ/UFRN), conquistou a medalha de bronze na modalidade teórica da Olimpíada Brasileira de Robótica (OBR). A modalidade teórica é dividida em duas partes: a primeira fase (classificatória) foi realizada em junho, de maneira presencial, na EAJ/UFRN. Já a prova da segunda fase foi realizada em agosto, de forma remota.

A preparação do estudante para a conquista da medalha se deu através do estudo dos componentes curriculares da escola, pesquisas do aluno e provas da própria OBR. "A preparação ocorreu durante os 3 anos em que participei: fazendo provas de edições anteriores e dedicando-me diante das disciplinas da grade curricular do ensino médio e do curso técnico. Este processo também esteve presente em vários momentos quando pesquisava sobre assuntos de meu interesse, principalmente da área técnica. Assim, consegui depois deste período ser aprovado para a segunda fase da olimpíada e conquistar a medalha", explica.


Vitor, que esteve competindo na OBR desde o 1° ano, avalia a participação como um avanço a cada edição. "Participo desde o primeiro ano em que cheguei à EAJ. Foi um percurso que avancei progressivamente. No primeiro ano, a participação foi apenas como experiência. Já no segundo, por poucos pontos não conquistei medalha. Para minha alegria, este ano consegui o tão sonhado objetivo que almejo desde o início. O simples fato de gostar de participar de olimpíadas científicas me motivou a seguir participando. No fundamental, só conhecia a OBMEP, mas quando entrei na EAJ vi que existiam outras, então percebi como estas experiências poderiam me ajudar como estudante, aumentando meu conhecimento por meio do prazer e da diversão, sem ter uma obrigatoriedade com o resultado", comenta o medalhista.

O jovem está no último ano do ensino médio e vê a conquista como parte da trajetória que sempre quis trilhar como estudante.

"Um sentimento bom que possibilitou uma sensação de dever cumprido. Depois de 3 anos de competição, resultando em algo incrível, mas principalmente por simbolizar uma grande parte da pessoa que eu me tornei e das experiências que vivi durante o ensino médio. Não vejo a medalha como apenas uma conquista de uma competição, mas como um símbolo da pessoa que sempre quis me tornar durante a minha infância: um aluno que participa ativamente de atividades científicas, sejam elas olimpíadas, congressos ou algum outro evento. Será bem significativo poder olhar para a medalha e lembrar que meu sonho de infância pôde se tornar realidade e que hoje eu vivo esse maravilhoso sonho", celebra.

A OBR foi uma experiência responsável por expandir a visão do estudante sobre robótica e que o motivou a pesquisar sobre o tema e demais assuntos que o ajudaram no desempenho escolar. Além disso, é parte do encerramento de um ciclo do aluno que está em ano de conclusão do ensino médio. "Esses conhecimentos abriram inúmeras portas para mim, proporcionando novas experiências que marcaram e mudaram minha vida para sempre. É uma sensação incrível! Ao mesmo tempo que representa um encerramento, também representa o começo de uma nova fase da minha vida. É muito bom passar por uma experiência como essa e poder finalmente conquistar uma medalha na olimpíada que participei durante os outros dois anos do ensino médio. A OBR me ajudou a focar e ao mesmo tempo me divertir em meio aos tempos turbulentos enfrentados por todos nós nestes últimos anos, e poder conquistar esta medalha no último ano de curso é algo recompensador, pois para mim ela simboliza todo este percurso de vida que é repleto de experiências e pessoas inesquecíveis que quero poder lembrar para sempre", fala.

O professor Leonardo Teixeira, orientador do estudante na OBR, fala sobre a conquista do aluno e sobre as próximas edições da competição. "É motivo de grande satisfação ver a conquista de mais uma medalha na modalidade teórica, especialmente no caso de Vitor, que já tinha chegado próximo dessa conquista nos anos anteriores e fez por merecer. Atualmente já há uma cultura de participação na OBR por parte dos estudantes do Curso Técnico em Informática da EAJ. Algo que a cada ano se fortalece com as nossas conquistas. Com certeza, continuarei motivando os alunos a participarem e contribuindo com a orientação. A expectativa futura é sempre focada no aumento do interesse pela área tecnológica e no aprendizado", comenta.

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

O Polo UAB de Macaíba vai promover, no próximo dia 24, o evento interdisciplinar Trilha de Integração dos Saberes, ação que faz parte da programação da 3ª Semana Universitária da EaD da Universidade F