top of page

Alunos da Escola Agrícola de Jundiaí fazem história na Olimpíada Brasileira de Robótica

Estudantes da Escola Agrícola de Jundiaí (EAJ-UFRN) se classificaram para a 2ª fase da Olimpíada Brasileira de Robótica (OBR)


Os discentes Jonas Ribeiro e Vitor Carvalho (1° ano); Caio Gabriel, Eduarda Rodrigues, Fellipe Eduardo, Francisco Lucas, Gabriel Sebastião, Maria Letícia, Matheus André, Miller Matheus e Rebeca Andrade (2° ano); e Juliana Freire, Letícia Maria, Mclincon Marcolino, Pedro Lucas e Rilary Mirela (3° ano), do Curso Técnico em Informática, foram classificados para essa nova fase, de Nível 05 (para alunos de nível médio e técnico), na Modalidade Teórica.


A Modalidade Teórica da OBR se divide em duas fases: a primeira é classificatória e aplicada na própria escola dos alunos pelo professor que os inscreveu. A organização da Olimpíada analisa o desempenho em nível nacional e determina um ponto de corte para definir os classificados para a segunda fase. Esta é aplicada em sedes regionais por representantes da própria Olimpíada. Após a realização dessa segunda fase, a organização define as notas de corte para as medalhas nacionais de ouro, prata e bronze. As fases buscam apresentar problemas de robótica associados com conteúdos do currículo escolar básico nas mais diversas áreas, como Matemática, Ciências da Natureza, Ciências Humanas e Sociais e Linguagens.


O professor Leonardo Teixeira, orientador dos estudantes, fala da importância de inseri-los na Olimpíada. "É bastante motivador para o professor observar os seus alunos estimulados a estudar novos conteúdos e buscar aplicação do que é visto em sala de aula ao longo do curso. A OBR, assim como outras olimpíadas científicas, promove a busca pelo conhecimento de uma maneira lúdica, potencializando a vocação dos alunos pela área", diz. E os classificados fizeram história: eles são o maior número de aprovados da EAJ-UFRN para essa fase da Olimpíada Brasileira de Robótica, com 16 estudantes ao todo. O professor e orientador comenta sobre a classificação e sobre as expectativas para a próxima prova. "É um motivo de orgulho. Em um ano tão atípico como foi 2020, por conta da pandemia, ver o interesse de um número relevante de alunos ir até a escola para realizar uma prova já foi considerado uma grande conquista. E observar mais de 60% destes se classificarem para a segunda fase mais ainda. Estou muito satisfeito com o desempenho de todos. Eles foram merecedores. Costumo falar para os alunos se 'divertirem' com a etapa conquistada. Estar na segunda fase já é um grande feito. Todos farão o melhor para, quem sabe, conquistarmos medalhas", finaliza.


Vitor Carvalho, um dos classificados, fala sobre a importância da Olimpíada e da experiência em participar pela primeira vez. "Para mim, a OBR é uma grande oportunidade para qualquer aluno que participe dela. Não apenas resumindo-se a uma competição, mas um evento onde nós, como alunos, podemos participar e ter uma experiência diferente da que temos em sala de aula", comenta. "Participar da OBR é uma oportunidade incrível, sendo para mim essa uma nova experiência, tendo em vista que não tive esta oportunidade em anos anteriores, o que proporciona a todos os participantes uma grande vivência que nos ajuda em nosso desempenho escolar", complementa.


A primeira fase foi aplicada presencialmente na EAJ no dia 11 de dezembro de 2020, seguindo o protocolo de biossegurança da UFRN no cenário da pandemia da COVID-19. Participaram 26 alunos, e os professores Adelino Avelino e Severino Gomes Neto auxiliaram na aplicação das provas. A EAJ-UFRN providenciou o transporte dos alunos que não tinham condição de ir de carro fazer a prova. Para a nova fase, também será organizada a logística de transporte. A segunda fase será aplicada no dia 22 de janeiro. O local ainda não foi definido pela organização. O resultado da segunda fase (saber quem conquistou medalha ou não) deve sair em fevereiro.

27 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Conheça os projetos da EAgro

PROJETOS DE EXTENSÃO Ciências Agrárias Saúde e Segurança Alimentar (2021-2023) Orientação: Daniela Cavalcante dos Santos Campos Hortas como promoção de segurança alimentar e educação ambiental em Esco

Comentarios


bottom of page